Discussion:
KUNKEL,UN DESPRECIABLE ASESINO TERRORISTA QUE NADIE ELIGIÓ,VETE BASURA
(demasiado antiguo para responder)
Robert m
2013-06-02 17:10:04 UTC
Permalink
Raw Message
LES PRESENTO AL TERRORISTA ASESINO MONTONERO QUE LA VA DE DIPUTADO K Y
ES UN TREMENDO Y SANGUINARIO ASESINO .. LEAN, ASI LOS VAN CONOCIENDO Y
VEAN LO QUE TENEMOS EN EL GOBIERNO Y POR QUÉ NOS DESPRECIAN TANTO ..
http://www.forosdehoy.com/newreply.php?do=newreply&p=775242283

KUNKEL ES UNA RATA DESPRECIABLE, APARTE DE UN ASESINO TRAIDOR ..
RECORDEMOS QUE HABIA PLENA DEMOCRACIA Y QUE PERÓN LOS ECHÓ DEL
PARTIDO PERONISTA POR TRAICIÓN A PERÓN Y A LA PATRIA, Y ÉSTA
RATA ADEMÁS ENTREGÓ A MÁS DE 100 COMPAÑOS DE LUCHA PARA
SALVARSE ÉL, Y MATABA A SUS PROPIOS COMPATRIOTAS BUSCANDO SUS
PROPÓSITOS .. LO QUE LO PINTA COMO UNA ALIMAÑA POR DONDE SE LO MIRE,
http://www.forosdehoy.com/newreply.php?do=newreply&p=775242283

R
Sergio Soares
2013-06-02 19:24:14 UTC
Permalink
Raw Message
HAJA PACIÊNCIA


Janio de Freitas


(…)




Eduardo Campos já adotou o sistema senta/levanta. Faz uma aparição e
some um período. Não está forçado a isso por discordâncias levantadas
contra sua candidatura no seu PSB, as quais não se aplacarão só porque
o governador de Pernambuco fique um tanto mais no governo onde deve
estar.




A investida da exposição pessoal de Eduardo Campos em grande parte do
país, com ênfase no Sudeste e no Sul, não lhe rendeu politicamente
nada. Além disso, o périplo acentuou a evidência de sua contradição,
ao mesmo tempo integrante da “base governista” e pré-candidato de
oposição a Dilma. E para isso Eduardo Campos não teve resposta
aceitável, frustrada a expectativa de explorar um divórcio que Dilma
não quis efetivar.




A pausa para meditação, com aparições que apenas marquem presença,
tanto indica que Eduardo Campos deu a partida com antecipação e modo
errados, como aponta para a necessidade de trabalho agora redobrado.
Inclusive, para tentar a correção do problema que criou no seu
partido, com o excesso de personalismo.




A meta inicial de Aécio Neves é a mesma de Eduardo Campos: fazer-se
conhecido.




(…)




Aécio utiliza-se de referências frequentes a Tancredo Neves, na busca
de uma identificação familiar com extensão ao destino político.
Tancredo, porém, em todas as circunstâncias de sua vida política,
caracterizou-se por só falar quando teve o que dizer. E o pré-
candidato Aécio Neves só tem falado o que não precisa dizer, porque
vazio de interesse ou banal como crítica.




Eduardo Campos leva sobre Aécio Neves, porém, uma vantagem
significativa: pode dar as costas a José Serra sem maior risco.




(…)

Loading...